Author: Celina Freitas

Como tratar estrias na barriga 

As estrias surgem quando ocorre a ruptura das fibras de colágeno e elastina da derme, deixando cicatrizes que podem ser avermelhadas ou brancas, dependendo do tempo que apareceram.

Elas podem surgir em qualquer lugar e, geralmente, após o ganho de peso ou um crescimento muito rápido, por isso, é bem comum as grávidas sofrerem com estrias, já que nesse período a pele passa por um estiramento rápido, as fibras acabam não resistindo e se rompem.

Mas, muita gente sofre com o surgimento de estrias na barriga, também, por causa de um ganho de peso muito intenso, ou mesmo, pelo uso de corticoides a longo prazo, que podem acabar estimulando o surgimento de estrias, inclusive, na barriga.

Brancas x Vermelhas

Assim que as estrias surgem elas possuem uma cor avermelhada, indicando a presença de sangue na região, e podem coçar ou até arder.

Mas, conforme o tempo vai passando, se essas estrias, ainda vermelhas, não forem tratadas, elas vão ficando mais velhas e adquirindo um aspecto esbranquiçado.

Enquanto elas estão vermelhas são mais novas, portanto, bem mais fáceis de tratar e sumirem completamente com algum produto bom e de eficácia comprovada como o creme para estrias Silk Skin, já as estrias brancas são mais difíceis e exigem mais tempo de tratamento e disciplina diária para combatê-las.

Sem dúvida, as estrias incomodam muito mais as mulheres, e quando elas surgem na barriga isso não é diferente, já que muitas acabam desistindo de usar miniblusas, ou de irem à praia.

Geralmente, durante a gestação, as estrias costumam aparecer após  o 3º mês de ou só no pós-parto, justamente, por causa do útero que se expandiu ou dos quilos a mais, adquiridos durante a gravidez.

Por isso, é fundamental, investir em cuidados e prevenção.

Como prevenir

Como é possível imaginar, durante a gestação, o útero precisa expandir para poder abrigar e suportar o crescimento do bebê, só que isso faz com que a pele da barriga passe por um grande processo de estiramento.

Os cuidados, nessa fase se resumem, portanto, a procurar praticar uma atividade física, como caminhadas, academia, yoga, hidroginástica, justamente, para evitar ganhar muito peso.

Também vale beber muita água e estar sempre bem hidratada, dessa forma, irá manter a pele em boas condições e livre das estrias. E o uso de hidratantes pode ser um bom aliado nessas horas.

E, claro, como não poderia deixar de ser, é preciso investir, também, em uma alimentação saudável e variada, para ajudar a manter a pele saudável. Aposte em alimentos ricos em Vitamina A e C por exemplo, evite os gordurosos com alto teor de açúcar.

6 Dicas para você emagrecer com saúde

Emagrecer, infelizmente, para a grande maioria das pessoas, não é nada fácil. E se o objetivo for a curto ou médio prazo, então, aí já acaba afetando a saúde.

O fato é que apostar em dietas super restritivas e milagrosas só serve para prejudicar a saúde e, comprovadamente, não trazer resultados definitivos.

Para que a dieta dê certo, ela tem que ser algo que possa ser levado para a vida inteira, como uma reeducação alimentar, por exemplo.

E se engana quem pensa que reeducação alimentar é passar fome e deixar de comer o que gosta. Na verdade é apenas buscar o equilíbrio, apostando, sempre que possível, em opções inteligentes, para detona gordura de uma vez por todas.

Quer saber como é fácil? Então veja abaixo 6 dicas simples para emagrecer com saúde, ou seja, se reeducar!

1. Prato equilibrado e variado

Acredite, quanto mais colorida e bonita, mais saudável será sua alimentação, aumentando a quantidade de nutrientes e variedade de alimentos no seu prato. Por isso, aposte em alimentos ricos em vitaminas e minerais para um prato mais saudável e saboroso. Invista em  frutas, legumes, verduras, diferentes tipos de proteínas (animal ou vegetal), cereais integrais, leguminosas (feijão, lentilha, grão de bico), leites e derivados, que são essenciais para a alimentação diária.

  2. Evite alimentos industrializados

Quer emagrecer de forma saudável? Fuja de alimentos industrializados, eles são cheios de sal, gordura e açúcar, sem falar nos aditivos artificiais. Priorize alimentos que saíram da terra ou que foram minimante processados (feijão, queijos…) Até mesmo os temperos prontos possuem uma concentração alta de sal, ou seja, têm o sódio elevado, muito prejudicial à saúde.

3. Coma devagar e mastigue bem

Nosso cérebro demora cerca de 18 minutos para entender que está satisfeito. Por isso, o ato de mastigar bem (pelo menos 30x por garfada) ajuda a emagrecer. Ao comer devagar, o estômago “tem tempo” de avisar ao cérebro que já recebeu comida suficiente.

4. Beba muita água

No processo de emagrecimento, a hidratação possui um papel muito importante. O ideal é beber, ao menos, 2 litros de água por dia. Esse hábito irá melhorar seu metabolismo, intestino e ainda evitar a retenção de líquidos. Evite, ao máximo, ingerir refrigerantes e sucos de caixinha (que são cheios de açúcar e conservantes). Opte por bebidas como chás, café, leite, sucos naturais, água de coco, entre outros. Mas evite beber líquidos na hora de refeição pra não atrapalhar a digestão.

 5. Pratique exercícios físicos

E, claro, não só para emagrecer, mas para garantir mais saúde, os exercícios são fundamentais. E vale apostar em uma simples caminhada, lembrando que as atividades regulares vão lhe ajudar a perder aqueles quilinhos extras acumulados ao longo do tempo, além de fortalecer ossos e aumentar sua massa muscular, garantindo um corpo saudável e mais esbelto.A dica é começar fazendo uma caminhada pelo bairro, por exemplo,ou 40 minutos na esteira da academia, ou começar substituindo o elevador pelas escadas.  MEXA-SE!

 6. Sem exageros aos finais de semana

Como dito, dietas restritivas que não podem ser levadas pela vida inteira, não adiantam à longo prazo. Assim, para não desistir de sua reeducação, vale cometer deslizes! Ou seja, se você não consegue abrir mão daquele chocolate, ou sobremesa que adora, deixe para cometer esses deslizes aos finais de semana. Se proibir, com certeza, dieta nenhuma vai poder ser seguida por muito tempo. Assim, você não precisa abrir mão de suas paixões, apenas reservá-las para os finais de semana. Assim, estará comendo 80% bem, com escolhas saudáveis, sem abrir mão do que você ama, seja pão, doce, salgadinhos e etc…

Dicas Para Ter as Pernas Bonitas sem Varizes

O calor sempre convida você a remover o máximo de roupas possível para lidar com altas temperaturas. No entanto, é o momento em que muitas mulheres, e em idades cada vez menores, sentem um certo desconforto ao observar que “veias quebradas” ou “teias de aranha” apareceram nas pernas, o que não é muito favorável de um ponto de vista. estético.

Felizmente, como diz a Dra. Angela Miguel, especialista em cirurgia vascular no Laser Medical Institute, essas veias superficiais da aranha não são perigosas “elas só dizem respeito às mulheres porque tornam as pernas feias, a menos que se tornem tantas que o sangue estagnado produz”. sintomas de estagnação do paciente, como dor nas pernas ».

Sua aparência se deve, em primeiro lugar, à condição de ser mulher, porque é uma questão puramente hormonal. “Os homens não têm esse problema porque não têm estrogênio. Se em uma academia um homem vê homens que a têm, é porque eles tomam pílulas e colocam hormônios.

É curioso que muitos bombeiros ou oponentes da polícia cheguem à consulta que tomam pílulas para construir músculos, e é quando eles adquirem aranhas musculares, que é uma razão exclusiva para seu acesso e, portanto, eles querem levá-los embora .

Este médico ressalta que as mulheres são predispostas a um componente hereditário e, se tomam contraceptivos, «e à medida que as tomam cada vez mais cedo, é mais fácil obter varizes antes.

Existem também certos cremes como o varigold que é uma ótima opção para tratar as varizes, mas antes de comprar esse produto eu recomendo que veja varigold reclame aqui se tem muitas reclamações sobre esse produto.

Mitos Sobre as Varizes

Por tudo isso, garante que não haja muitas medidas preventivas. «A prática de esportes passa por períodos recomendados ou não, mas, em princípio, parece que isso não afeta nem para o bem nem para o mal. Ela influencia positivamente para melhorar as artérias, mas não para a prevenção de varizes.

No entanto, o estilo de vida sedentário não é bom porque a drenagem venosa é exercida pela almofada dos pés e quanto mais você anda, mais chances de uma boa drenagem haverá ».

Ele também nega que cruzar as pernas acelere o aparecimento de varizes irritantes “não influencia em nada. É um falso mito . A melhor coisa a evitar é não tomar contraceptivos porque o componente genético não pode ser evitado. ”

Em relação às mulheres que optam por eliminar esse problema das pernas, elas devem saber que existem vários tratamentos, mas não é recomendável que sejam submetidas a elas nas datas próximas ao verão, pois durante um mês elas terão as pernas mais feias porque ficam inflamadas, coágulos sanguíneos, eritema aparece, manchas … e, além disso, não pode dar-lhes sol na pele afetada. Portanto, a decisão deve ser tomada com bastante antecedência.

O Dr. Miguel também adverte que os tratamentos para pequenas varizes “não são definitivos” porque não resolvem a causa que os causa “, eles simplesmente apagam o traço visível das pernas, mas não o problema . Um ultra-som não nos permite saber por que uma aranha ocorre em um lugar ou outro. Após o tratamento, é normal realizar uma revisão a cada dois anos .

No entanto, em varizes patológicas , que são muito espessas, é diferente porque o ponto de fuga é fechado, a veia é renovada e a origem do problema é corrigida. Nesse caso, eles podem ser tratados pela Previdência Social por serem considerados uma doença e já representam um certo risco, além de serem dolorosos.

Um dos métodos para eliminar varizes superficiais ou estéticas é a chamada terapia fotodinâmica, na qual uma espuma esclerosante é injetada e engrossa a parede da veia, que, sendo muito fina (um milímetro), engorda imediatamente e permanece fechada.

O laser também é usado para aquecer o sangue que passa pela veia e o calor a queima. “O laser é mais permanente porque destrói a veia, mas usá-lo apenas” sem sela “sem a fase anterior, acima das veias, funciona mal e, além disso, pode produzir algumas queimaduras, por isso não é altamente recomendado”, explica esse especialista. .

Ele acrescenta que são utilizadas bolhas, obtidas graças à substância líquida, autorizada pela Agência de Medicamentos , e que são diluídas porque não precisam de alta concentração. “Quando as bolhas são injetadas, a luz do laser faz com que elas entrem em contato com a parede venosa por mais tempo e sejam 20 vezes mais eficazes. Este método é provavelmente o mais rápido e seguro. Praticamente com uma sessão e uma revisão, os pacientes estão satisfeitos porque, além disso, não requer anestesia ».

Nas varizes patológicas, o tratamento clássico que sempre foi feito, embora agora cada vez menos, é removê-las inserindo um cateter do ponto de vazamento , fazendo um nó e, a partir daí, removendo a parte afetada com um cateter. .

Existe outro tratamento que leva mais tempo e é mais bem-sucedido, que é a termofusão intravenosa, que, usando um laser ou fibra de radiofreqüência, é introduzida no ponto de vazamento e, à medida que é retirada, queima a veia. É uma cirurgia que requer um pouco de anestesia local, mas o paciente pode andar desde o primeiro momento, embora deva usar meias de compressão. Este método possui uma segurança sem recorrência maior que a remoção da veia.

Durante muito tempo, o tratamento de colocar a espuma que engorda a parede da veia também foi realizado porque o sangue circula mal e coagula. ” Nesse caso”, ressalta, “a taxa de recorrência é alta, chegando a 40%” .

O Dr. Miguel acrescenta que, ultimamente , está sendo usada uma cola derivada do cianoacrilato, da famosa Super Cola , e é aplicada da mesma forma que com a termoflação intravenosa. “A veia é canalizada através de um microcateter, o ponto de fuga é alcançado e, a partir daí, a cola é injetada a cada três milímetros gota a gota.

A vantagem é que ele não precisa de anestesia porque não dói e a questão é quanto tempo dura o efeito, porque esse método é bastante recente e não há dados. «O primeiro a usar a termofusão intravenosa foi o espanhol de Maiorca, Carlos Bonet, que teve que ir aos Estados Unidos para ouvi-lo.

Com a ajuda de um americano, eles conseguiram isso há 20 anos. Aos 10 anos, quando são mensuradas as recorrências, a taxa foi de apenas 0,3 “, conclui este médico.

Dores articulares crônicas

As dores nas articulações, normalmente, podem ser descritas como uma sensação forte de desconforto, como incomodo ou como uma dor mesmo, que afeta uma ou mais articulações do corpo.

Esse tipo de dor pode ocorrer havendo ou não uma maior movimentação da articulação ou da musculatura em torno, podendo ser desde um caso simples de fadiga, até casos mais graves que chegam a limitar os movimentos.

Essas dores podem ser descritas como sensação de queimação, desconforto, rigidez articular, inflamação e outros.

O fato é que as articulações são estruturas bastante complexas, que incluem a extremidade dos ossos, a membrana sinovial, a cartilagem, os ligamentos, as bursas e os tendões.

É somente por causa delas que nosso corpo tem tanto movimento e também é por causa dessa grande movimentação que não é incomum ter dor nessas áreas.

Causas das dores articulares crônicas

Quem nunca teve dores nos joelhos, nas costas ou nos ombros pode se sentir privilegiado, certamente!

Isso porque as dores crônicas nessas regiões citadas chegam a atingir cerca de 15 milhões de pessoas somente no nosso país, segundo dados do Ministério da Saúde.

Quando ela não é tratada corretamente, essa dor ou inflamação articular pode acabar se desenvolvendo e evoluindo para problemas mais graves, tal como a osteoartrite.

Mais do que isso, diferentemente do que muitos acreditam, não é somente as pessoas da terceira idade que devem ficar atentas ao problema não. Isso porque essa é uma condição que pode afetar qualquer faixa de idade.

Sendo assim, caso as articulações comecem a dor sem que haja um motivo aparente, a recomendação médica normalmente é a aplicação de gelo ou calor para o alívio da dor, o Flex Caps funciona para tirar as dores também, sendo uma ótima opção natural para acabar com as dores.

Se a dor não diminuir, o mais indicado é procurar um médico especialista para evitar que dores passageiras se tornem dores articulares crônicas.

Dicas para evitar dores articulares crônicas

Embora não exista nada que possa, de fato, prevenir as dores articulares crônicas, existem algumas alternativas que podem ajudar, tais como:

  • Controle de peso: o sobrepeso pode aumentar a pressão sobre as articulações. Mais do que isso, a obesidade normalmente está associada com hábitos sedentários, o que significa menor suporte muscular.
  • Atividade física: a prática de atividade física é ótima para a saúde articular, visto que ajuda a controlar o excesso de peso e melhora o equilíbrio.
  • Dieta: aposte em alimentos ricos em cálcio e não esqueça da vitamina D, que ajudam a manter a densidade óssea e evitam problemas.
  • Não passo tanto tempo sentado: quanto mais você usa as articulações, mas lubrificadas e saudáveis elas ficam. Por isso, use-as!

Remédios de farmácia para varizes

Quer saber quais os remédios de farmácia mais recomendados para tratar varizes? Então, condirá nesse artigo!

 Muito mais do que um problema meramente estético, as varizes sinalizam que a sua saúde necessita de mais atenção, já que varizes significam uma insuficiência venosa crônica, ou seja, risco de complicações que, em casos extremos, podem danificar veias, levando sangue com impurezas ao coração e aos pulmões.

Felizmente, hoje em dia já podemos contar com várias opções de tratamento para as varizes, desde através de remédios de farmácia, até remédios caseiros, cremes ou determinados procedimentos, como laser ou cirurgia.

Certamente, cada caso é um caso e pede um tratamento mais específico, eficaz para cada estágio, dependendo da gravidade do problema, por isso, é fundamental a consulta a um bom especialista, o qual irá definir o tratamento mais adequado para o seu caso.

Embora os tratamentos sejam muitos e diferentes, dependendo de cada caso, o que vamos ver aqui são os feitos com remédios de farmácia, destacando os mais utilizados.

Remédios de farmácia mais utilizados para tratar varizes

Então, os remédios de farmácia mais utilizados para tratar varizes e má circulação, geralmente, têm em sua composição diosmina e hesperidina, que são flavonóides que atuam diretamente sobre as veias do sistema circulatório, diminuindo a sua capacidade de se distender, aumentando o tônus venoso, dessa forma, melhorando a circulação.

E não é só isso, tais medicamentos melhoram também a microcirculação,  normalizando a permeabilidade dos vasos e reforçando a resistência dos capilares, dessa forma, diminuindo o inchaço de origem venosa.

Esses medicamentos também aumentam a drenagem linfática e aumentam o número de linfáticos funcionais, dessa forma, aumentando a capacidade de eliminar o líquido intersticial.

Ou seja, esses remédios são eficazes para ajudar a diminuir os sintomas associados à doença, como dor, peso nas pernas e o aparecimento de úlceras. Os remédios mais receitados são:

  • Diosmin;
  • Flavonid;
  • Velunid;
  • Venaflon;
  • Flavenos;
  • Daflon 500

Certamente, só um profissional poderá receitar esses medicamentos e a posologia vai depender da dose dos comprimidos, porém, geralmente, a dosagem recomendada na doença venosa crônica é de 2 comprimidos de 500 mg por dia, um pela manhã e outro à noite.

Remédio para varizes na gravidez

É fundamental que não se faça uso de automedicação, sob risco do agravamento dos sintomas e da doença e, até mesmo, de acarretar outros problemas até piores, e isso deve ser obedecido ainda com mais rigor pelas gestantes.

Portanto, qualquer remédio para varizes só deve ser tomado durante a gravidez se recomendado pelo médico, de acordo com as suas indicações e de forma extremamente cuidadosa, para não prejudicar o desenvolvimento do bebê.

A cirurgia é contraindicada durante a gestação.

Uma dica para prevenir o surgimento de varizes durante a gravidez é usando meias elásticas até o fim da gestação, além de procurar elevar as pernas, no mínimo, três vezes ao dia, pois isso irá aliviar os sintomas e ainda prevenir as complicações comuns dessa doença em grávidas.